Facebook Pixel Tempo de tela: quanto é considerado exagero?

TELAS

Tempo de tela: quando a exposição às telas é demasiada?

As telas chegaram para ficar. Mas sabemos que exageros no tempo dispensado em frente às telas pode ser muito prejudicial, especialmente para as crianças. Vamos dar uma olhada nos tempos de tela recomendados, os sinais que seu filho pode dar quando está passando muito tempo na frente das telas - e o que você pode fazer para incentivar uma rotina digital mais saudável para ele.

rosto de mulher com cabelo curto
Stefanie Parth
18/11/2022 • 6 min
menino com deitado na cama mexendo no celular

5,5 horas e meia. Esse é o tempo médio que as crianças entre 8 e 12 anos passam em frente a uma tela - por dia. Para os adolescentes de 13 a 18 anos, chega a 8,5 horas por dia. O tempo médio tem aumentado mais nos últimos dois anos quando comparado aos últimos quatro. Por quê? Resultado da Covid19. Contudo esses números nem incluem as horas advindas das aulas online.

Convenhamos, isso é demasiado tempo para um jovem.

Mas então, quanto tempo em frente à tela do celular é considerado saudável?

As recomendações de saúde sobre tempo de tela variam de país para país, e também de instituição para instituição. No entanto, os parâmetros que aconselhamos são os seguintes:

  • crianças menores de 3 anos não deveriam ser expostas às telas
  • crianças de 3-6 anos de idade não mais que 1 hora por dia
  • crianças de 6 a 10 anos de idade não mais que 1,5 horas por dia
  • crianças de 10 a 13 anos de idade não mais que 2 horas por dia
  • adolescentes de 13-15 anos de idade não mais que 2,5 horas por dia
  • adolescentes de 15-17 anos de idade não mais que 3 horas por dia

Se você faz parte da família Ohana, talvez já tenha notado que indicamos essas mesmas recomendações, com base na idade de seu filho, quando você configura os limites de tempo de tela diários.

Afinal, como saber se seu filho está passando muito tempo na frente das telas?

Aqui estão alguns efeitos colaterais comuns que devem ser observados.

Seu filho sempre reclama que está cansado

A insônia é um dos efeitos mais comuns advindos de excessos no tempo de tela. As telas são muito estimulantes e a luz azul emitida por elas afeta nossa capacidade de adormecer. Portanto, em vez de ajudar seu filho a se acalmar, o tempo que ela passa em frente da tela antes de dormir, acaba mantendo-o acordado. Você facilmente irá notar o efeito "cansado mas sem sono", que nada mais é quando seu filho está exausto e mesmo assim não consegue pegar no sono.

Outras alterações físicas fáceis de reconhecer:

  • olhos cansados ou pupilas dilatadas
  • alterações de peso
  • dores no pescoço
  • síndrome do túnel do carpo

Seu filho está constantemente superestimulado

A superestimulação é outro sinal do excesso em frente às telas.

Alerta para estes sinais no comportamento de seu filho:

  • tomar más decisões
  • comportar-se de forma impulsiva
  • estar desatento e distraído
  • agressivo
  • irritabilidade
  • ter colapsos emocionais frequentes

É importante ter em mente que o excesso de estímulo também pode ter outras causas, portanto observe o comportamento de seu filho e busque um diagnóstico médico antes de qualquer conclusão.

criança chateada jogada no chão por que acabou o tempo de tela

Demasiado tempo de tela pode estimular em excesso sua criança e pode causar irritabilidade

Outros estudos confirmam que muito tempo de tela pode levar ao vício tecnológico, ansiedade, depressão, isolamento social, solidão ou até mesmo ao transtorno de déficit de atenção e hiperatividade.

Seu filho prefere telas à pessoas

Preste atenção em como seu filho interage com os outros, especialmente com os amigos. Será que ele gosta de passar tempo frente a frente com seus amigos? Ele tem colegas virtuais com quem conversa exclusivamente online?

Se seu filho prefere passar a maior parte do tempo em frente às telas ao invés de interações cara a cara, é provável que o tempo de tela diário dele pode ser exagerado. Agora, é preciso considerar normal e parte da atualidade que as crianças mantenham contato frequente com seus amigos através de mensagens de texto ou redes sociais. Porém, não podemos desconsiderar a importância para o desenvolvimento social da criança o relacionamento corpo a corpo com outras pessoas. Isto os ajuda a entender as habilidades de comunicação não-verbal e a aprender a ter empatia com os outros.

8 maneiras simples para reduzir o tempo de tela do seu filho, criando hábitos digitais mais saudáveis

1. Definir limites diários para tempo da tela

Introduza limites para criar uma rotina digital mais saudável. Certifique-se de falar com seu filho sobre isso e explicar suas razões. Talvez seja bacana reduzir gradualmente o tempo de tela do seu filho, por exemplo, cortando 15 minutos a cada dia ou semana. Dica: Com Ohana, você pode estabelecer limites e horários individuais para cada dia da semana.

2. Introduza momentos de estímulo à concentração

Você já deve ter notado que se distrai facilmente da tarefa que está trabalhando cada vez que recebe uma notificação no seu celular. Considerando isso, quando seu filho estiver fazendo o dever de casa, mantenha o telefone dele em algum lugar distante, pois é hora de se concentrar. Dica: Você pode usar Ohana para configurar agendas automáticas para entrar em Modo Concentração.

3. Evite telas antes de deitar para dormir

Para evitar o efeito "cansado mas sem sono", desligue todos os dispositivos pelo menos 30 minutos antes da hora de dormir. Em vez disso, escolha atividades calmantes, como a leitura, por exemplo. Dica: Com Ohana, você restringe aplicativos e notificações no telefone de seu filho para que ele não se sinta tentado a olhar para ele.

4. Lidere pelo exemplo

Quanto tempo você passa em frente às telas? Reflita sobre isso: Se você está constantemente ao telefone, seu filho vai querer fazer o mesmo. Observe seu próprio comportamento e quantidade de tempo interagindo em telas e considere a possibilidade de fazer mudanças na sua própria rotina.

5. Exclua as telas das refeições

Desfrutem juntos de suas refeições familiares - sem nenhuma tela. Empilhe seus telefones no meio da mesa ou coloque-os todos em uma cesta e compartilhem as atividades do dia de cada um. Isto pode ser um desafio para os adolescentes em princípio, mas no final eles vão acabar gostando, você vai ver!

6. Tire o foco das telas

Há tantas outras atividades divertidas que seu filho vai gostar mais do que olhar para o celular ou tablet. Proponha atividades artísticas, trabalhos manuais, música, dança e prática de esportes ao ar livre. Pense em sua própria infância - o que você gostava de fazer naquela época?

menino pintando uma porcelana

As crianças desenvolvem habilidades motoras e exploram sua criatividade ao fazer artesanatos.

7. Tire o máximo proveito do tempo de tela de seu filho

É importante fazer do limão uma limonada. Se o tempo em frente às telas é inevitável, será que é possível guiar para atividades menos passivas? Por exemplo, ao invés de ficar assistindo a vídeos no TikTok, que tal reduzir esse tempo incluindo jogos educativos na rotina digital dele? Escolha conteúdos e aplicativos apropriados para a idade, de alta qualidade e que eles gostem. Desta forma, seu filho se beneficiará do tempo de tela. Dica: Com Ohana, você filtra facilmente conteúdos inadequados e bloqueia aplicativos inapropriados à idade dele.

8. Não use o tempo de tela como recompensa ou punição

"Se você limpar seu quarto, você terá meia hora a mais para jogar no seu celular". Soa familiar? Um estudo descobriu que usar o tempo de tela como recompensa ou punição é comparável quando o fazemos com a comida. É problemático dizer: "se você limpar seu quarto, você ganha um chocolate", Porque o uso de guloseimas açucaradas como recompensa aumenta o desejo de seu filho pelo o açúcar. O mesmo acontece com o tempo de tela. Usando as telas como item de negociação, você estará dando demasiada importância a elas. Ao invés disso, normalize seu uso.

Loading...